PONTOS TURISTICOS e LOCAIS HISTORICOS


BUENA TERRA MISSIONEIRA - O município de Bossoroca apresenta em seu espaço físico territorial, um patrimônio histórico e cultural invejável, que evidencia a grandeza desta pequena cidade, ao longo de sua trajetória evolutiva e no processo fundamental para solidificação de valores, regional e local. O patrimônio histórico e cultural da Buena Terra Missioneira, representa um papel importante no processo de gestão do município, buscando resgatar a sua contribuição social, política e econômica, oriunda de seu potencial evidenciado pelos atrativos turísticos.



 IGREJINHA - ONDE TUDO COMEÇOU - Segundo historiadores, em 1822/23, com a concessão de terras pelo Governo Português, chegou à este local, o primeiro povoador, o italiano Joseph Fabrízio, que passou a chamar-se de José Fabrício da Silva em razão das exigências para concessão de terras no Brasil.

Após um tempo e em razão da morte de um de seus filhos, quando então nosso município era o 4º Distrito de São Borja, o sepultamento ocorreu no alto de uma coxilha, nas proximidades do acidente.

Iniciava-se então, o cemitério da Igrejinha, um dos mais antigos do município. Teve esta denominação em razão de que a capela construída para o sepultamento tinha o formato de uma igreja, surgindo daí, o nome de Igrejinha.

Dizem que o velho José Fabrício, desgostoso com a morte do filho, mudou-se, colocando-se na costa do Piratinin, onde hoje encontra-se a Estância Velha. 

Nas imediações da Igrejinha, carreteiros, tropeiros e mascates que por ali passavam, sesteavam ou pernoitavam próximo ao cemitério, já que o local oferecia condições para um bom descanso, com capão de mato à margem da estrada real e água límpida e fresca.








CEMITÉRIO DOS CATIVOS - Este pequeno cemitério iniciado em 1879, encontra-se localizado próximo à zona urbana de Bossoroca. Sua história começa com José Fugante, proprietário de terras e carreteiro. Fugante encontrava-se viajando, em uma de suas carreteadas, e seus escravos ajudavam os de Barrios, que também residia nas imediações. Em momento de folga, os escravos brincavam com com os filhos de José Fugante e um deles, Julio Cesar de 7 anos, foi ferido no abdômen pela ponta de uma picana. 

O ferimento foi grave e, em poucos dias, o menino faleceu. Barrios então, pensando agir de forma correta, identificou os negros que tiveram participação no acidente e o que causou o ferimento, chamado Ambrósio, que pertencia a Barrios, foi decapitado e sua cabeça ficou exposta, para servir de exemplo aos demais, num palanque em frente à sua casa. Porém, José Fugante, que havia perdido o filho mas que também gostava dos negros, não aprovou a atitude tomada por Barrios. 

Diante desta situação, os outros escravos planejaram vingança e numa sesta de Barrios, em pleno meio-dia, o atacaram a pauladas e o mataram. José Fugante também pediu à sua família que, quando morresse, fosse sepultado no mesmo local onde os escravos estavam. 

Um túmulo que ainda se destaca no cemitério dos Cativos, é dele, pois os negros eram enterrados no chão sem qualquer identificação. Na realidade, o cemitério dos cativos, surgiu em razão de uma Lei Imperial de 1850, que proibia, entre outras situações, o sepultamento de escravos junto com os brancos e permanece como prova de um tempo cheio de preconceitos, sendo, segundo pesquisas, o único do Brasil.





















MEMORIAL AO 1º GENERAL FARROUPILHA - Na BR 285, no entroncamento com a estrada vicinal que leva a localidade conhecida como Timbaúva, no município de Bossoroca, existe um marco que poucas pessoas tem conhecimento de sua localização e de sua importância histórica cultural.  

Num local já tomado pelo mato, é possível encontrar uma pedra com uma placa, que provavelmente seja mármore, já quebrada, fazendo alusão ao local onde tombou João Manoel de Lima e Silva, o 1º general das forças farroupilhas. 

O local exato de sua morte ninguém sabe, mas a história conta que o mesmo foi morto nas proximidades de São Luiz Gonzaga em uma emboscada, quando preparava a defesa das missões, em 16 de agosto. 

Segundo o que foi possível apurar, a pedra foi levada àquele lugar por um grupo de cavalarianos do Piquete João Manoel, de São Borja, em data desconhecida até então. 

A ACB – Associação Cultural de Bossoroca chegou a conseguir autorização para a construção de um memorial naquele lugar, através do DNIT. No entanto, em razão do desinteresse das pessoas e instituições que poderiam ajudar, o projeto foi abandonado.



GRUPO ESCOLAR GASPAR S. MARTINS - Construído em 1938/1939, este prédio foi o primeiro grupo escolar do município, quando Bossoroca ainda pertencia à São Luiz Gonzaga e foi chamado de Gaspar Silveira Martins, em homenagem a um deputado estadual e ministro da época. Hoje este prédio histórico abriga a sede da Associação Cultural, o Museu Municipal Paulina A. Pereira, a Inspetoria Veterinária e um posto do Detran.




ESTÁTUA DE NOEL GUARANY - Monumento ao missioneiro Noel Fabrício da Silva (Noel Guarany) em razão de seu trabalho musical e por ser alguém que adotou a Buena Terra, levando aos quatro cantos do Rio Grande, o atavismo da Bossoroca. O trabalho é do escultor Vinicius Ribeiro.








ACERVO DE NOEL GUARANY - Localizado no saguão de entrada da Prefeitura Municipal de Bossoroca o "Espaço Noel Guarany" resultou da necessidade de mostrar à população e visitantes, objetos pessoais deste missioneiro, como fotos, letras de musicas, um de seus violões e outros pertences que sintetizam sua vida e sua arte. A intenção de criar este local surgiu por ocasião de seu velório, no dia 6 de outubro de 1988, que foi prontamente aceita por todos, principalmente pelos familiares de Noel, sua esposa Neidi e a filha Laura. Posteriormente, o Governo Municipal iniciou a estruturação do local o qual foi inaugurado no dia 6 de outubro de 2007, sendo que à noite, foi realizada uma das edições do evento em sua homenagem, "Tributo a Noel Guarany", com a participação efetiva de vários artistas, simpatizantes e comunidade local e regional.


ESTÂNCIA JESUÍTICA DO SOBRADO - Construído em 1840, por João da Costa Furtado, é um prédio de dois pisos e assim chamado de sobrado. Conta a história que neste mesmo local existia uma morada muito antiga, que pode ter sido um posto jesuítico ou um aldeamento indígena.

 


ESTÂNCIA VELHA - Antiga propriedade onde residiu um dos primeiros povoadores desta região, o italiano Joseph Fabrizio "da Silva", descendente de nobres italianos, naturais de Veneza, sendo que o sobrenome "da Silva" era uma espécie de contrapartida exigida pelo império para concessão de terras. Sua construção ocorreu entre 1815 a 1820. Primeiramente, José Fabrício residiu no local hoje conhecido como Igrejinha e onde ainda existe o Cemitério da Igrejinha, iniciado com o sepultamento de seu filho. Em razão do acidente, José Fabrício mudou-se para esta área.

 


MAUSOLÉU NOEL GUARANY - Local onde está sepultado o missioneiro Noel Fabrício da Silva - Noel Guarany, o Cantor da Bossoroca. A construção do mausoléu foi feita com vários elementos que compõe a geografia e a história deste imortal interprete da música missioneira.

 




CLUBE CAÇA E PESCA SANTO HUMBERTO- Localizado às margens do rio Piratini, na divisa com Santo Antônio das Missões, o clube Caça e Pesca Santo Humberto é um aprazível local, que oferece ampla área de lazer, com espaço para acampamento, quadra esportiva e local demarcado nas águas do Rio Piratini. Neste local encontra-se localizada a ponte de ferro, antiga ligação entre Bossoroca e São Borja.




Igreja Católica localizada junto a praça Porfírio Pereira




MUSEU MUNICIPAL PAULINA A. PEREIRA - Com um acervo considerável de peças e documentos antigos, o museu municipal Paulina Alves Pereira, é o local preferido de historiadores, professores e alunos e se traduz em uma modesta homenagem para esta senhora, que em tempos passados, foi uma das pessoas que mais contribuíram para o desenvolvimento da cidade. Seu marido, capitão do exército Porfirio Pereira, empresta o nome para a praça principal, sendo que o quarteirão que abriga esta praça, foi doação do casal.








CERRO DA BELA VISTA: De propriedade do artista plástico Marquito Moraes, o Cerro da Bela Vista está localizado no interior do município, no distrito da Timbaúva, local de nascimento de Jayme Caetano Braun e se traduz em um local aprazível que oferece uma vista deslumbrante da região. Saiba mais sobre este local

 



LAGOA DO CERRO - Esta bela lagoa encontra-se localizada no Rincão das Burras, sendo e tem sua nascente no alto de um cerro. Segundo informações, mesmo em épocas de estiagem intensa, suas águas sempre se mantiveram no nível, mostrando que a vertente que lhe dá origem é bastante forte.




PRAÇA PORFÍRIO PEREIRA – Localizada na zona central de Bossoroca, este amplo e arborizado local leva o nome do esposo de Paulina Pereira, capitão Porfírio Pereira, em sinal de reconhecimento pelos préstimos em prol do desenvolvimento do município em sua fase inicial.











PRAÇA JOSÉ FABRICIO DA SILVA - Bonito e tranquilo lugar localizado na Av. Marechal Castelo Branco, próximo ao Bairro Gaúcha.

 



GALPÃO DOS ESCRAVOS - Alguns a chamam de senzala, outros afirmam que era um galpão onde escravos que fugiam de seus donos, procuravam abrigo, pois conta a lenda que o proprietário da época era contrário a escravidão. Este galpão está localizado junto a Estância Jesuítica do Sobrado.




QUIOSQUE NOEL GUARANY - Localizado na praça Porfírio Pereira, este quiosque foi construído em torno de uma antiga caixa d'água, num arrojado projeto arquitetônico.


Prédio da antiga estação ferroviária







PONTE DE FERRO – RIO PIRATINI - Em 1900, construiu-se a primeira ponte sobre o rio Piratini, que ligava São Luiz - São Borja. A construção foi em madeira. No entanto, com a grande enchente de 1905, a enxurrada levou a ponte água abaixo. Num esforço do Senador Pinheiro, foi trazida uma estrutura metálica que permanece até hoje. Embora desativada, a ponte é um local de visitação e marca uma época da nossa história. Hoje, empresta um tom nostálgico ao rio de águas mansas. Um belo lugar para sentir a natureza.

 



CASA ONDE NASCEU JAYME C. BRAUN - No distrito da Timbaúva, resistindo ao tempo, ainda pode ser vista a casa onde nasceu o mestre dos pajadores, Jayme Caetano Braun.

 


CASA DE PEDRAS - Localizada no Rincão dos Antunes, foi construída em 1830 por João Manoel Xavier Pedroso, imigrante do Paraná e primeiro proprietário da sesmaria do Rosário naquela localidade. Segundo a história, serviu de refúgio aos revolucionários de 35. Contam os mais antigos, que em seu interior foram guardados preciosos tesouros. O quadro de pedras que aparece na frente da propriedade, encerra uma história triste e singular, repleta de mistérios como outras que rondavam a existência dos primeiros habitantes desse lugar.


Casa de Pedras






SOCIEDADE AMIGOS DE BOSSOROCA - A SAB - Sociedade amigos de Bossoroca, é uma entidade social que tem sua sede próximo a zona urbana, com ampla área de lazer.